Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2009

A ÁRVORE DA HIPOCRISIA - A propaganda enganosa da igreja de hoje

Imagem
Essa semana o tema da mensagem foi a respeito da figueira que Jesus secou desde à raiz, por não encontrar frutos nela. É a figueira impostora. Mas é Incrível como nos identificamos com ela, quando vendemos uma imagem pra crente ver, e fazemos a publicidade de uma copa linda, cheia de folhas verdes, mas sem conteúdo, sem verdade, sem verdadeiros frutos.

Um pouco de luz contextual. Existe uma época certa para a frutificação dos figos na região de Jerusalém. Os figos pequenos, que crescem dos brotos dos figos da última safra, começam a aparecer no final de março e podiam ser colhidos em maio ou junho. os figos grandes são colhidos no final de agosto até outubro.
quando os figos pequenos surgem, eles surgem junto com as folhas. logo, se há folhas...há figos.

Jesus saiu muito cedo, com os primeiros raios do sol, que salpicavam com tons laranjas o céu azul escuro. Ele havia pernoitado na casa de seus amigos em Betânia,(Lázaro,Marta e Maria) e deve ter saído sem tomar o “café da manhã”. Durante…

MEMÓRIAS - Histórias ao redor da mesa

Imagem
Ontem assisti de novo o fascinante filme Big Fish dirigido por Tim Burton. Claro que fiz um associação direta do pai Ed Bloom e seu realismo fantástico de narrar histórias e as histórias que meu pai contava para a família ao redor da mesa.

As histórias narradas em torno da mesa era uma cultura muito forte em nossa casa na rua Luiz Antony. Meu pai, era e é um exímio contador de histórias. Sempre na hora das refeições, papai iniciava sua narração vívida em detalhes rebuscados, a respeito de suas aventuras dos tempo de menino, no Arari, pequeno vilarejo às margens do lendário rio Mearim, no interior, bem interior do Maranhão.

Todos os dias após à oração de gratidão pelo alimento, ele logo falava: Essa vocês ainda não ouviram! E já aguçávamos nossos ouvidos para ouvir mais uma exposição de proezas fantásticas novas ou repetidas. Bem cedo fiquei familiarizado com os personagens cativantes da família Silva, protagonistas principais de seus enredos, como a vovó Antonina, o vovô Antônio, a bi…

IGREJA-GINCANA, DESSA NÃO QUERO SER!

Imagem
Ocorre à minha mente, que a sociedade é como uma grande gincana onde seus membros competem até à axaustão, culminando em alguns poucos “gatos pingados” que serão reconhecidos e premiados no final, para logo serem esquecidos e abandonados.
Desde muito cedo entramos no mundo competitivo, em um clima de concorrência além dos limites que conseguimos suportar. Isso acontece no jardim de infância, no colégio, na faculdade, na especialização, nos esportes, nos relacionamentos, na música e em todos os espaços da vida.

O mundo em que vivemos produz uma cultura opressiva, que extrai de nós multifacetados sentimentos ruins, o medo inconsciente de perder, e a ansiedade de não correspondermos às suas pressões e exigências inatingíveis de estética, fama, capacidade, competência e habilidade.

Delineia-se nitidamnte em nós o medo de não sermos reconhecidos, de não nos sentir plenamente adequados aos padrões impostos. Recrudesce impetuosamente esse sentimento latente de não sermos valorizados o sufici…

O Retorno do Rei

Imagem
Um dos ofícios de Jesus de Nazaré é o de Rei. Domingo passado discorri no sermão, sobre as características do Rei Jesus, quando expunha a respeito da (anti) entrada triunfal em Jerusalém.
Jesus era um rei no mínimo, excêntrico, pela natureza diferente de seu reinado.

Jesus era um rei humilde. Ele nasceu em circunstâncias bastante modestas, em um estábulo, imiscuído no meio de animais, aninhado por Maria no comedouro, tomando cuidado para não pisar no estrume fresco depositado no chão de terra batida, isso, na periferia da cidade, nas imediações de Belém.

Mais tarde, vemos Jesus dizendo de Si mesmo, que O Filho do Homem não tinha onde repousar e nem onde reclinar a cabeça, diferentemente das raposas em seus covis e das aves do céu em seus ninhos.

Última semana antes da caminhada definitiva rumo ao Calvário. Jesus não detém Seu olhar direcionado para o esplendor da cidade de Jericó, a Cidade das Palmeiras, com seus jardins exuberantes, com suas piscinas, e com a imponente construção da ca…

CEGUEIRA NA IGREJA DE HOJE?

Imagem
"Por que foi que cegámos, não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso? penso que não cegámos, penso que estamos cegos, Cegos que vêem, Cegos que, vendo, não vêem”.
- trecho do livro Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago.

À propósito, ontem à noite discorri sobre cegueira, ao pregar o sermão, no culto no Abrigo R15. Então lembrei do filme produzindo pelo brasileiro Fernando Meireles sobre o livro de José Saramago.
O filme não é, nem de longe, uma versão hollywoodiana, padrão “arrasa quarteirão”, típico dos filmes de consumo e da estética do entretenimento, com super trilhas que exageram no sub woofer.

Entretanto, podemos retirar grandes lições do filme, acerca de nossas relações entre seres humanos, quando os recém enceigueirados encontram-se premidos por situações extremas de dificuldades, quando são acometidos de uma cegueira branca, o filme torna-se tenso, mas nos leva a uma tremenda reflexão sobre o sentido do ter e do poder, de como a …

MEMÓRIAS - Férias na Vila do Careiro

Imagem
Lembro que durante o período das férias grandes e às vezes no mês de julho, ou nos dias de carvaval, passávamos na Vila do Careiro. Foram momentos inesquecíveis de pura aventura.

Na Vila do Careiro havia uma grande praça, cercada de casas de vereneio de um lado e do outro, cujos proprietários eram comerciantes e empresários em Manaus. No centro da praça com calçadas que perpassavam uma imensa área verde com flores diversas, havia um igrejinha com uma cruz na torre principal e mais abaixo, um chafariz de bronze no vértice central das calçadas.

Era ao redor desse chafariz que a moçada sentava na bacia vazia aredondada, e onde o Tony e o Alé tocavam violão, e juntamente com os primos e uma gama de amigos, mais ou menos uns trinta, que vinham para passar as férias conosco, entoavam canções memoráveis que ecoavam na noite silenciosa de céu limpo de miríades de estrelas cintilantes, e que até hoje lembro das letras:
...“Meu amor está tão longe de mim, meu bem não seja tão ruim, escreva-me u…

IGREJA SEM BIG BROTHER

Imagem
A Igreja é uma sensacional invenção de Deus, fundada por Jesus.
A igreja é sensacional quando dentro dela se respeita a individualidade de cada um de seus membros, porque Deus nos vê como pessoas individuais, cheias de valor e significado.
Deus prima pela individualidade, pois nos fez com impressões digitais, íris, DNAs, temperamentos, estilos e gostos absolutamente exclusivos e diferenciados dos de todo o mundo.

Quando a igreja, através dos seus líderes impõe seus gostos pessoais, seus pontos de vista, suas posições doutrinárias e nivela tudo como se igreja fosse uma gigantesca esteira por onde passa um exército uniforme de soldadinho uniformizados, aí ela deixa de ser sensacional, para ser decepcionante.

É decepcionante quando você vê na igreja, a cara do pastor e não a cara de Jesus.
Sim, a igreja se torna decepcionante simplesmente pelo fato dos pastores e líderes criarem suas igrejas à sua imagem e semelhança e não à imagem e semelhança de Cristo.
A igreja é decepcionante, quando u…

MEMÓRIAS - As Aparições do Gárgula

Imagem
Na rua Luíz Antony da minha infância, bem como em todos bairros de Manaus, tinham muitas brincadeiras empolgantes como o canga-pé, a bolinha, o pião, o papagaio, manja, barra bandeira, o garrafão, e todas no seu tempo certo. Eram temporadas bem definidas no calendário da molecada. Mas o que me empolgava mesmo eram as brincadeiras de dentro de casa. Primeiro, que não havia televisão, games e outros trecos tecnológicos da modernidade pra nos fazer ficar petrificados diante de um munitor de computador. Segundo, que a gente apelava pra criatividade e a inventividade que produziam brincadeiras inesquecíveis.

Em algumas noites da semana, tirávamos os jogos da caixa grande de papelão e brincávamos de ludo, damas, varetas, firo, baralho, e outros jogos maravilhosos. Em outras noites,fazíamos uma roda na sala de jantar e botávamos pra contar histórias de visagem e do interior. Eram noites que a adrenalina ficava elevadíssima. Geralmente a turma era composta dos meus irmãos e os primos, filhos d…

Aventuras do Mano

Imagem
continua...

PRETENSÕES DE UM PORTO DE LENHA

Imagem
Fico sobressaltado com a pretenção do manauara de por fim, ter uma cidade cosmopolita como as outras cidades do sul e sudeste do país. Fiquei observando a euforia de milhares de manauaras que compareceram à festa da confirmação de Manaus como cidade-sede do mundial de 2014. Tudo em nome do progresso, com direito a J Quest e tudo, e o escambau à quatro.

Nesse sentido, o compositor amazonense Torrinho deve ter ficado triste com essa reinvidicação. Ele fala em sua música:

Porto de Lenha, tu nunca serás Liverpool
Com a cara sardenta e olhos azuis
Um quarto de flauta
Do alto Rio Negro
Pra cada sambista-paraquedista
Que sonha sucesso
Sucesso sulista
Em cada navio, em cada cruzeiro
Em cada cruzeiro
Das quadrilhas de turistas.

Porto de Lenha, nome simples adquiriste sem maiores pretenções, antes do boom da borracha, com certeza, juntamente com essas quadrilhas de turistas que virão como enxames para nossa cidade (que apesar de tudo, hoje ainda não tem a violência e a podridão das grandes cidades que no…

MEMÓRIAS - Balneários de Manaus

Imagem
Todos os sábados nossa família saía para se divertir em algum dos “banhos” ou balneários perto da cidade. Não íamos nunca aos domingos, porque era dia sagrado, Dia do Senhor, separado para a igreja, quando participávamos dos cultos e da Escola Dominical na Primeira Igreja Batista.
Papai e mamãe saíam bem cedinho com as cestas de vime para ir ao Mercado Municipal para comprar os mantimentos para as nossas aventuras. Sempre íamos no taxi do seu Aerolino e nos dirigíamos para algum desse balneários na periferia da cidade.
Às vezes íamos ao Satélite. Era o banho da AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil). Havia uma estradinha que descia ladeada com muitas árvores, e que dava acesso à área onde havia uma casa de madeira do zelador e uma piscina rústica de madeira, com um igarapé de águas cobreadas, geladas e correntes. Ali passávamos o sábado inteiro pulando n’água e mergulhando naquela piscina de águas limpas e geladas. Hoje o Satélite foi engolido pela urbanização anômala, e no lug…