quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A ENCARNAÇÃO E O FANTÁSTICO MISTÉRIO DA KENOSIS



Fico fascinado com a idéia do Deus Todo-poderoso decidir confinar-se em um corpo humano, fadado às mazelas que um corpo com carne e osso, estatura e peso carrega.
A gente fica admirado dos demônios rilharem os dentes e não declararem que Jesus veio em carne. Mas a forma anti-bíblica como encaramos a encarnação do Verbo de Deus não nos deixa em posição menos similar que a deles, quando dizemos: “ha, mas Jesus tirou de letra, venceu o pecado e a tentação, porque afinal, ele enfrentou tudo como Deus. Eu não, sou pecador, por isso nunca vou conseguir vencer”.
Agora veja bem. Quando Paulo fala que Jesus se esvaziou de si mesmo, se utiliza de um termo grego muito mais profundo que podemos assimilar desse vocábulo. Jesus a si mesmo se esvaziou... como um enorme balão se fêz kenosis, deixou-se murchar até secar, mas com todas a prerrogativas inerentes do Deus Todo-Poderoso.
A grande verdade é que Jesus venceu o pecado, a carne (sua natureza tendenciosa ao pecado), o diabo, o mundo e por fim a morte, não como Deus, mas como homem. Por isso é que existe um só mediador entre Deus e o homem: Jesus Cristo, homem. Há um homem no céu sentado no trono do universo, com as marcas indeléveis nas mãos e pés, de quando foram transpassados pelos pregos na cruz do Calvário, Jesus Cristo o homem efetuou o sacrifício eterno, plenamente aceito pelo Pai. E é exatamente isso que deixa o inimigo encolerizado. Ele foi derrotado por um homem.
Paulo diz também que Jesus se tornou participante das fraquezas concernentes à natureza humana. Penso que Deus enviou Jesus ao mundo da mesma forma que um astronauta é lançado no vazio do espaço sideral. Para o astronauta sobreviver no vácuo do espaço, ele precisa de uma equipamento especial, com roupas adequadas, balas de oxigênio e um tubo que é o elo de ligação entre ele a a nave espacial, senão ele morre. Pois bem, Jesus vem como o segundo Adão (o primeiro fracassou), ele não podia se valer de sua divindade, pois somente um homem perfeito, sem pecado e sem defeito poderia satisfazer inteiramente as exigências da justiça divina. O tubo de ligação com a nave mãe era a oração (você já se perguntou porque Jesus precisava jejuar e orar, sendo Ele cem por cento Deus?) e a dependência initerrupta com Deus que enchia o reservatório de ar do Espírito Santo, que proveu tanta autoridade espiritual e a consecução de tantos milagres. No Getsêmani, se deflagra a última tentação para Jesus desistir da cruz e rasgar seu equipamento humano, cortar o tubo e de uma hora pra outra, abortar a Grande Missão e se revelar com a fulgurante aparência que sempre teve anteriormente junto à glória do Pai e acabar de uma vez por todas com a raça dos soldados que o estavam prendendo na escuridão do jardim. Ele mesmo disse que se quisesse, oraria ao Pai e o Pai enviaria naquele mesmo momento mais de 12 legiões de anjos (cada legião romana era composta de 6 mil soldados) para acudi-lo, livrando-o assim, de uma morte tão sanguinolenta por crucificação. Mas não. Como homem Ele se resignou a sofrer as agruras das chicotadas que retalharam suas costas, das bofetadas que desfiguraram seu rosto e por fim a dor lancinante dos pregos nas mãos e pés. Mas não nos enganemos. A dor mais horrenda não foi a física. Foi a dor moral ,quando todos os pecados do mundo convergiram para os seus ombros a tal ponto dEle sentir a solidão cósmica do abandono do Deus que é absolutamente Santo. E então a mais controvertida dos fatos: Ele morre. Deus morre. Como homem, daquele contexto social, é embalsamado e posto num túmulo novo aberto na rocha. Mas um milagre excepcional acontece: Seu sangue não qualha, e Seu corpo não experimenta corrupção, como os homens comuns em cujos corpos começaria naturalmente o pustulento processo de decomposição conforme o texto de Atos dois, verso trinta e um.
Kenosis. Encarnação. Deus adotando um corpo humano. mistério.
Jesus é cem por cento homem. E como homem teve desejos comuns a todos os homens. E ele era viril, com uma compleição física vigorosa, que aguentava grandes caminhadas à pé, mas podia também ser acometido de enxaqueca, gripe, sonolência, suor, cansaço, podia sentir o calafrio de uma baita dor de barriga, e ao acordar, tinha que tirar remela dos olhos e se higienizar e tudo mais, e por experimentar as compulsões naturais da carne, o autor aos hebreus diz que Ele foi tentado em todas as coisas, mas sem pecado. Por isso Ele se tornou nosso Sumo Sacerdote, capaz de se condoer de nossas fraquezas.
Então quando você vir o tradicional cartão de Natal mostrando no presépio José, Maria, o menino Jesus e as vaquinhas, saiba que houve ali o milagre extraordinário da kenosis, quando Deus Todo-Poderoso, se torna um minúsculo embrião no útero de Maria, se alimentou da placenta, nadou na escuridão do líquido aminiótico, foi expulso na hora certa depois dos nove meses, nasceu todo breado de sangue na estrebaria, teve que chorar para forçar os pulmões pregados a se abrirem numa profunda lufada de oxigênio, cresceu como qualquer criança judia, balbuciou as primeiras palavras, deu os primeiros passos e tombos (Deus ferindo o joelho?), fez peraltices, levou umas boas petelecadas de José, carregou troncos de árvores, moldou arados e mesas como carpinteiro, e no final do seu ministério terreno, como homem no horto do Getsêmani, passou por sua cabeça a possibilidade de haver outra maneira de salvar a humanidade: “Pai, se possível, passa de mim esse cálice”. Ali, como homem, chora, agoniza, é acometido de um medo petrificante e sua alma fica angustiada até à morte, numa época que não existia a palavra depressão. Mas Ele experimentou a depressão nos degraus mais profundos e escuros.
E da próxima vez que você passar por dificuldades indescritíveis, pela solidão de ser solteiro, por transes agudos, por provações insuportáveis que parece que não vai aguentar e sentir na carne uma depressão profunda, a dor lancinante de uma traição, lembre-se daquele que pode interceder por você e realizar um verdadeiro milagre, afinal das contas, é Ele quem diz: “No mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo. Eu venci o mundo”. E isso Ele fez, como verdadeiro homem. De carne e osso, peso e estatura, como eu e você. Se Ele pôde, você também pode, confiando inteiramente Nele.

Nenhum comentário: