Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

não sou melhor do que ninguém

Reflexões de um peregrino na véspera de seu aniversário.

Não sou melhor do que ninguém. Sou um simples passageiro do tempo, nada mais. Um sobrevivente que luta sofregamente pela vida, “carregando no costado” 53 anos, um pouco mais de meio século de existência. Sinto-me um peregrino a caminho do céu, que se vê muitas vezes, anacrônico, inadequado e perdido no mundo, como no meio de densa tempestade de areia no deserto da vida, me vendo às vezes sem direção, sem norte e sem companhia, mesmo rodeado de gente querida que me estime muito.

Não sou melhor do quer ninguém. Vejo-me como um cristão comum em meio a milhões de outros inconformados, um profeta fora de lugar, um provocador de inquietações, com certa dosagem de subversão para conspirar contra o status quo da religião legalista e contra a injustiça na sociedade enfermiça.

Não sou melhor do que ninguém, por isso minha teologia é inclusiva e graciosa, não contendo o teor triunfalista dos que levantam a bandeira da versão gospel do “corp…

feriado de outubro

12 de outubro, Sítio Bom Sossego.
Chuva persistente, gotas intermitentes salpicam o para-brisa, o céu cor de chumbo. De repente, estiagem, céu aberto, ótimo clima para se viajar. Estrada infinda serpenteando dentro da floresta (embora existam hoje muitas áreas de devastação e desmatamento criminosos). A tempestade iminente ficou para trás. No trajeto vimos fazendas e sítios passando velozmente. Depois de 80 quilômetros, parada obrigatória no café com tapioca com queijo e castanha no Rio Preto. Tucumã estava em falta. Esticar de canelas, mais estrada. 72 quilômetros a mais, chegamos ao sítio Bom Sossego. A noite caía célere, em frente ao portão, a buzina insistente. Através das brechas da cerca, podia-se ver a alameda de coqueiros bem iluminada e a casa de madeira envolvida num véu de escuridão, parcas lâmpadas acesas na área da cozinha. Fomos enfim recebidos pelo Marcio e pela Lania. Já haviam desistido de nos esperar. Depois de pormos nossa bagagem no assoalho de um dos quartos, f…