quarta-feira, 20 de maio de 2009

EM ALTO E MAL SOM



Me sinto indignado com o número de pastores e líderes de igreja que adotam uma verdadeira confissão “de má fé” e que vivenciam na prática, o lema “os fins não justificam os meios”.
Li essa semana a respeito de um pastor que foi preso por não respeitar a lei de crimes contra o meio ambiente do código ambiental do Município. O barulho ensurdecedor das pregações, orações, ministrações e músicas reproduzidos pelas poderosas caixas de som da igreja, estavam muitos decibéis acima dos recomendados pela lei. Um dos vizinhos incomodados, munido de seu direito garantido de cidadão, reclamou, mas não foi atendido por várias vezes. Chamou a polícia, e o pastor barulhento foi preso. Mas não aprendeu a lição. Reclamou que estava sendo “perseguido por amor a Cristo". Pode?
É lamentável testemunharmos fatos similares a esse todos os dias. Igrejas com pastores que em nome do Evangelho, desafiam as regras, burlam as leis e mentem descaradamente para mostrar que sua igreja cresceu. Pastores mentirosos, sem ética e princípios básicos de cidadania, pastores gananciosos que escondem milhares de dólares nas páginas de suas bíblias sagradas para não declará-los na receita federal, pastores sonegadores de impostos, pastores caloteiros com uma lista intermináveis de processos na justiça, pastores que forçam a barra simulando milagres que jamais aconteceram, reprodutores de pseudo avivamentos que só geram gente mais esquizofrênica e perturbada por não corresponderem às exigências que seus líderes gananciosos fazem.

Em tempo: Pastores honestos, éticos e comprometidos com a Verdade do Reino, vocês que não se deixam dobrar jamais, continuem firmes no propósito. A vocês meu carinho e respeito, não me reporto a vocês neste texto/denúncia.

Bom, falei! Fica aqui registrado o meu descontentamento. Não me alegra em nada o fato desse tipo de igreja estar crescendo, não me alegra em nada ouvir sobre o crescimento estatístico dessa igreja enfermiça, inoculada pelo veneno do triunfalismo e acometida de convulsões febris de megalomania.

CREIO SIM, no surgimento de uma igreja/remanescente no final dos tempos, da Noiva enfeitada de singeleza e adornada de simplicidade, uma igreja corajosa que prega a Verdade que liberta que muda o homem de dentro para fora, fazendo-o mais feliz, mais humilde, mais humano e mais comprometido com os valores éticos e morais conforme o que Jesus pregou no Sermão do Monte, uma igreja que não força a barra, mas espera pacientemente pelo avivamento verdadeiro do Alto, enquanto estende a mão para o mundo necessitado, e vê formas criativas de influenciar positivamente a sociedade, uma igreja que gera membros maduros que pensam por si mesmos, e por ser um exército livre, reproduz novos membros vocacionados para viverem a plenitude dessa liberdade consciente.
Não sei quando, mas quero ver e fazer parte dessa igreja que emerge qual semente de grão de mostarda, pequenina e aparentemente insignificante, para mais tarde vir a ser árvore frondosa, que vai aninhar em sua copa, revoadas de pássaros de todas as espécies, numa diversidade inimaginável, incluindo em seus galhos os menos favorecidos, os de penas de matizes menos coloridas, como os corvos, corujas, urubus e outros exóticos e diferentes, que não são tão bem recebidos pela Rede Institucional dos Pássaros Reformados. Esses não só serão muito bem-vindos, como terão justa proeminência nesse Reino Pleno de Aceitação. Esperemos!

6 comentários:

Edjane Macedo disse...

Tb quero fazer parte dessa igreja ..."uma igreja corajosa que prega a Verdade que liberta que muda o homem de dentro para fora, fazendo-o mais feliz, mais humilde, mais humano e mais comprometido com os valores éticos e morais conforme o que Jesus pregou no Sermão do Monte"...
Que Deus nos abençoe!

markeetoo disse...

como o rob bell fala, "a igreja é uma organização que existe para o benefício dos não-membros."
Triste uma igreja que em vez de servir a comunidade, a vizinhança, causa barulho e ganha a antipatia da vizinhança e q mesmo após pedidos dos vizinhos, não liga e continua fazendo barulho.

Liev disse...

Eu sou vizinho de uma dessas "igrejas do barulho" por vezes é insuportável. Houve uma ocasião em que minha mãe solicitou que abaixassem o volume (e era durante um ensaio) eles acharam por bem aumentar mais ainda, é fogo. É claro que do muito que se consegue escutar da dita vizinha, pouco se aproveita. O evangelho não é pregado, pelo menos não o de Jesus, quanto a Mamon esse é amplamente cultuado.

Alexandre Silva disse...

Precisamos de pastores verdadeiros, assim, que com a verdade nas mãos, não tenham medo de se expor e tornar o evangelho para o caminho correto - aquele ensinado por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo - "Ama a teu próximo como a ti mesmo". Parabéns pelo texto.

Valdir Franca disse...

Valeu pela audacia de falar do crescimento da arrogancia e petulancia de gente louca, que foi assobiada - como dizia o Airton - mas que jamais ouviu um chamado de Deus para estar no ministerio cristao. Muitos destes ouviram o canto da sereia, filha de Mamon, travestida de meretriz que seduz as gentes para se deitar numa cama de decepcoes espiritualizadas!
Meu grande abraco e respeito Manoel!

Liev disse...

sem querer ser demais insistente mas achei, num post do pavablog, um site tudo a ver com o assunto:
www.deusnaoesurdo.com.br