terça-feira, 9 de junho de 2009

IGREJA SEM BIG BROTHER



A Igreja é uma sensacional invenção de Deus, fundada por Jesus.
A igreja é sensacional quando dentro dela se respeita a individualidade de cada um de seus membros, porque Deus nos vê como pessoas individuais, cheias de valor e significado.
Deus prima pela individualidade, pois nos fez com impressões digitais, íris, DNAs, temperamentos, estilos e gostos absolutamente exclusivos e diferenciados dos de todo o mundo.

Quando a igreja, através dos seus líderes impõe seus gostos pessoais, seus pontos de vista, suas posições doutrinárias e nivela tudo como se igreja fosse uma gigantesca esteira por onde passa um exército uniforme de soldadinho uniformizados, aí ela deixa de ser sensacional, para ser decepcionante.

É decepcionante quando você vê na igreja, a cara do pastor e não a cara de Jesus.
Sim, a igreja se torna decepcionante simplesmente pelo fato dos pastores e líderes criarem suas igrejas à sua imagem e semelhança e não à imagem e semelhança de Cristo.
A igreja é decepcionante, quando um pastor que é cafona, produz toda uma igreja cafona. Quando tem um pastor que tem péssimo gosto musical, e produz toda uma igreja que faz música medíocre e toca e canta sempre desafinado. Quando tem um pastor que nega o conhecimento, e produz toda uma igreja emburrecida. Quando tem um pastor vaidoso que quer todos as spots apontados pra si, e produz toda uma igreja que queima na fogueira de sua própria vaidade. Quando tem um pastor bitolado em seu mundinho hermeticamente fechado e produz toda uma igreja com a mesma bitola apertada, na mesma medida de seu pastor. É assim que a igreja se torna decepcionante.

A igreja se torna sensacional quando aprende o caminho do amor e da renúncia. Quando ensina o caminho da liberdade consciente e da moderação livre e deliberada, quando gera cristãos maduros que fazem suas próprias escolhas, mesmo sem estar sob o olhar dos “pitbulls da moral”, do scaner rastreador de ”discipuladores” inconvenientes que se intrometem em assuntos pessoais que não dizem respeito a eles.

George Orwell fala em algo semelhante em seu livro 1984, quando discorre sobre o olhar onisciente do Big Brother, não o programa da Globo que leva milhões ao vouyerismo imbecilizador dos que ficam brechando pelo buraco da fechadura, mas um poderoso ditador mundial que põe sua polícia do pensamento com câmeras de potentes lentes 24 horas por dia, em todos os lugares e ninguém ficava isento de sua verredura. Nesse regime totalitarista não havia individualidade, nem lugar algum onde se pudesse exercer liberdade individual, mesmo dentro de sua própria casa, não pudendo pensar, vestir, ou ler diferentemente dos demais, ou discordar das leis do regime, sob pena de ser punido severamente ou ser levado à pena capital pelo sistema político imposto.
Infelizmente, existem centenas de igrejas e líderes em nosso tempo, que agem de forma muito parecida como a do Grande Irmão, de George Orwell.

Mas a igreja sensacional instituída por Cristo, é uma igreja que conserva como seu bem mais precioso, a individualidade de seus membros.

É a igreja que reproduz cristãos à imagem e semelhança de Jesus, e como Ele, é despojada dos preconceitos mesquinhos contra os que vivem, pensam e agem de forma diferente, e se abre num abraço agigantado direcionado a esses incompreendidos, pelo simples fato de se exporem como são, sem as firulas, os cacoetes e as coreografias viciantes do mundo gospel dos nossos dias. Essa igreja sensacional beija e introduz o diferente ao centro da sala do banquete, onde há festa plena de aceitação e oferece assento diferenciado, e diz: seja você mesmo e fique inteiramente à vontade.

Como disse Phillip Yancey, “A Igreja é o único lugar do mundo onde unidade não quer dizer uniformidade, e onde diversidade não significa divisão”.

13 comentários:

markeetoo disse...

infelizmente as vezes as igrejas agem como "lanterninhas" apontando pra quem tah errado e mandando se retirar.
essa coisa de exigir uma uniformidade é triste mesmo. quantas pessoas já sofreram por isso!
as igrejas não formam seres pensantes que entendem o motivo de fazerem o q fazem, e q sabem se virar sem ter um pastor dizendo o q fazer. Pastores que encaram o "pensar" como sendo um vilão.
Que Deus nos dê maturidade pra lidar com essas situações e que a igreja gere crentes pensantes.

Tiago disse...

mto bom o texto...

Nos faz refletir sobre a nossa vida cristã!!

abraços!

Humberto Neto disse...

Esse tipo de atitude vai contra todo o principio de subjetividade da fé... É ridiculo!

:P

janssem disse...

Passei boa parte da minha vida sob essa tentativa infeliz de me moldar aos pensamentos dos outros, hoje penso e hoje de fato existo!

Sapão - André Luís Oliveira disse...

Mnaoel

ótimo texto, inclusive o incluí no meu blog, no link http://blog-do-sapao.blogspot.com/2009/06/liberdade-pessoal-na-igreja-de-cristo.html

Há um grande prejuízo para todos quando a Palavra de Deus é superada pela palavra do pastor

Alexandre Silva disse...

É do individual que o geral ( igreja ) deve aparecer. Livre, sem dogmas, sem hipocrisia, sem medo, sem amarras. O novo approach da igreja é individual, numa experiência homem - criador, e, essa igreja como generalista preenchendo as individualidades, as necessidades reais do homem. Parabéns pelo texto.

Edjane disse...

Infelizmente esse tipo de igreja já me fez pensar q era um caso sem jeito, essa neura me acompanhou por anos...
Hj Deus me dá a oportunidade de ver quer ele me ama exatamente do jeito que sou, que apesar das minhas dificuldades aos poucos vou amadurecendo e usufruindo das bênçãos que ele tem para me oferecer, sem medo de ser punida, de ser julgada e muito menos de me achar uma pessoa q não tem mais jeito por não seguir as coreografias, os pensamentos e cacoetes desses pastores.
Parabéns pelo excelente texto!

Marilena Silva disse...

Parabéns pelo texto! Louvo a Deus que te fez um ser pensante. Acho que muita coisa seria evitada na igreja se as pessoas fossem ensinadas a pensar, pesar os prós e contra dentro da soberana vontade de Deus, e até isso, sem neura, entendendo que Deus mostra a Sua vontade quando agimos.

Anônimo disse...

AlyCampos:

Esse texo é muito bom, vai de encontro a realidade vivida na maioria das igrejas. Aqui neste Blog se bebe agua viva e renovada...que não pare de fluir!..Parabéns!! Eu sou suspeito pra elogiar!

Liev disse...

Muito bom esse texto... me faz parar para pensar porque os cristãos são conhecidos por não beber nem fumar ao invés de serem conhecidos pelo amor que têm uns pelos outros (outro = semelhante ou integrante da espécie humana e não apenas os frequentadores do mesmo lugar de adoração) cabe a nós fazer uma igreja inclusiva que respeite as individualidades. Afinal a Criação é marcada pela diversidade.
abraço

disse...

pr!graças a a DEUS, por fazer parte da igreja triunfante de JESUS!
obrigado por trazer reflexoes e mediataçoes nesses dias terrivéis e finais. que JESUS de Nazaré te ilumine!tens sido um canal de benção ,na propagação da palavra bendita de DEUs. e isso tem feito um bem grandioso a nossa casaabrigada...apesar da distancia fisica.mas não deixando de ser corpo em CRISTO!

Mr.Psyc disse...

as comunidades realmente sao a cara de seus lihderes (desculpe, nao tenho acentos aki). isso eh inevitavel.

pensando nos pastores/lideres...eu vejo a crise interna de dar "liberdade de pensamento/interpretacao" para minha comunidade. de certa forma, me torno refem deles. eles podem fazer oq entendem e nao 'precisam' de mim. E, eles agora tem uma 'feh propria'! (eu sei q a ideia eh essa). mas, na nossa cultura, eh mais facil deixar alguem pensar por mim e tomar minhas decisoes,sendo assim, responsavel pela minha vida. E, eu possa transferir a responsabilidade e nao ter que arcar com as implicacoes das minhas crencas e atitudes. por isso, eh mais interessante pro pastor ditar tudo dentro da comunidade, ateh pq, convem para os membros...assim, todos estao felizes com a roupa que eh aceitavel, e com o poder sobre a liberdade que deus tem para curar as pessoas. 'we all win'!
sera?

a pergunta q fica eh...serah q nohs, q enxergamos isso, jah estamos olhando para Jesus ou estamos procurando um lider que pense por mim, mas pense com mais 'sensibilidade' as minhas necessidades e ideosincrazias...q seja 'cool.' q diga q minhas tatuagens sao aceitaveis, q minha musica nao ofende, q minha ' pos-modernidade' eh a marca da minha feh.

nao quero 'modernizar'; quero ser transformado...

-valeu pelo atrito pensante!

Gui disse...

Legal essa alusão ao Big Brother.
Por muito tempo nesses 8 anos de vida cristã, eu pensei q era sim o papel dos líeres da igreja fiscalizar, punir e saber da vida dos seus membros, td c a desculpa do "por amor às ovelhas".
Nos anos em que fui lider de jovens, de culto d oração, de missões, etc, eu agia dessa maneira e por conta disso, acabei criando algumas inimizades dentro da igreja.
Acho q boa parte dos líderes peca nesse aspécto por zelo excessivo.
Agora aki no Abrigo tenho aprendido a confiar e depender mais de Deus, e acho q boa parte dessa liderança controladora, tem esse hábito por que não entendeu ainda q o rebanho é de Deus e não do pastor, que os membros estão sob controle total da soberana vontade de Deus, e que "o Espírito Santo quem convence o homem do pecado..." e "...Ele quem efetua em nós o querer e o realizar..." Por isso função da igreja é mostrar o caminho, e confiar q dos seus eleitos o Senhor cuida.
Louvo a Deus por ter aprendido aki no Abrigo essas verdades transformadoras.
Obg Manel.