terça-feira, 2 de junho de 2009

PRETENSÕES DE UM PORTO DE LENHA



Fico sobressaltado com a pretenção do manauara de por fim, ter uma cidade cosmopolita como as outras cidades do sul e sudeste do país. Fiquei observando a euforia de milhares de manauaras que compareceram à festa da confirmação de Manaus como cidade-sede do mundial de 2014. Tudo em nome do progresso, com direito a J Quest e tudo, e o escambau à quatro.

Nesse sentido, o compositor amazonense Torrinho deve ter ficado triste com essa reinvidicação. Ele fala em sua música:

Porto de Lenha, tu nunca serás Liverpool
Com a cara sardenta e olhos azuis
Um quarto de flauta
Do alto Rio Negro
Pra cada sambista-paraquedista
Que sonha sucesso
Sucesso sulista
Em cada navio, em cada cruzeiro
Em cada cruzeiro
Das quadrilhas de turistas.

Porto de Lenha, nome simples adquiriste sem maiores pretenções, antes do boom da borracha, com certeza, juntamente com essas quadrilhas de turistas que virão como enxames para nossa cidade (que apesar de tudo, hoje ainda não tem a violência e a podridão das grandes cidades que nosso povo anela ser), virão mais assaltos, mais grades, mais alarmes, mais sobressalto nas ruas, mais homicídios, mais drogados, mais violência nas esquinas, e com certeza, mais alargado se tornará o fosso social que separa os privilegiados dos pobres miseráveis marginalizados que como sempre, não terão acesso à saude, à educação e aos caminhos de uma vida digna.
Porto de Lenha, estás mesmo preparado para se vender para o progresso, com suas promessas tentadoras de termos nosso primeiro metrô de superfície, de termos uma super ponte sobre o Rio Negro que vai do nada a lugar nenhum, para exibirmos um estupendo estádio de futebol à semelhança do Ninho de pássaro da China, para depois assistirmos o super clássico Libermorro X São Raimundo?
E lá fora a droga correndo solta, a miséria humana com toda sua intensidade sendo vista nos monitores da Tv, quando assistiremos de cadeira todos os dramas existências de milhares de pessoas cada vez mais neurotizadas, cada vez mais cheias de medo, de depressão e desesperança numa cidade linda e futurista...
Porto de Lenha, será que não precisaríamos, sim, tomar um caminho absolutamente inverso, de darmos uma volta corajosa por cima e voltarmos à vida pacata que tinhas, e lutar por uma humanização programada, uma volta à alegria despojada de antigamente, em busca de uma Manaus mais tranqüila, uma volta as cadeiras na calçada, às brincadeiras nos parques, quando tinhas paz e tranqüilidade, e podias ter muito mais tempo para as tuas famílias, mais tempo para o lazer entre os amigos e mais tempo para cuidar dos interesses comuns aos teus cidadãos?
Porto de Lenha, por favor, não tenhas nunca a presunção de ser Liverpool!

7 comentários:

markeetoo disse...

é, todos queremos ser uma São Paulo, uma Nova Iorque. Eu, urbano como sou, gosto do ritmo das cidades grandes, mas não podemos negar que grandes cidades precisam lidar com assuntos sérios como os citados no texto.
A vinda da copa pra Manaus trará mt coisa boa, mas com certeza muita coisa ruim tb.
Acho que não temos como frear isso em larga escala, mas podemos tentar conscientizar a classe mais baixa, através de trabalhos sociais, fazendo um esforço mesmo que silencioso, mas que fará diferença na pequena esfera de influência de onde isso estiver localizado.

Penso também na criação da BR319 que o Alfredo tá brigando pra liberar, tentando mudar leis que servem pra preservar nossa floresta, em nome do progresso. E também do porto desenvolvido pelo Niemeyer que ficaria no meio do encontro das águas...

Progresso é bom, mas o custo é alto. Será que vale a pena?

Edjane disse...

Estava empolgada tb com a chegada desse progresso por aqui, estava vendo pelo lado do desenvolvimento, geração de emprego etc.., ainda não tinha parado para pensar no lado negativo da história toda, infelizmente é inevitável esse crescimento e a Manaus calma e pacata vai sendo cada dia coisa do passado.

Marilena Silva disse...

Acho que o Markeetoo tem razão, não tem como frear, mas podemos fazer a nossa parte no que siz respeito a conscientização e apoio a projetos como o da UFAM, ensinando as pessoas a terem uma mente crítica. Mas que dá saudade dá!!!!

Micael Pinheiro Silva disse...

O pior de tudo é a politicagem e a farra com dinheiro público. O "pão e circo" ainda funciona muito bem por aqui. Eduardo Braga está nos braços do povo. E ainda tem os aproveitadores (Os outdoors do Lupercio são ridículos).
Tenho esperança que as obras de infra-estrutura venham e sejam o legado disso tudo. Em Barcelona isso aconteceu, já na Coreia não tenho idéia.
De qualquer forma, o projeto é muito ambicioso e trará prós e contras, como foi dito. Espero que a preservação da floresta que foi o mote da campanha seja realmente levado em consideração.

Humberto Neto disse...

Como conversei essa manhã com o markeetoo... Acredito em uma prefeito conciliação do progresso com uma revitalização moral de nossa sociedade. Os problemas sociais (em relação a nossa cidade) se devem a falta de planejamento do nosso crescimento que aconteceu e continua acontecendo de forma desordenada. Acredito que um evendo desses, de grande porte, possa chamar a atenção dos nossos governantes para que os mesmos possam pelo menos maquiar nossa cidade para que a mesma seja mostrada de forma positiva ao mundo. Isso n resolveria nosso problema, mas de alguma forma ccontribuiria para que esse povo tão sofrido tivesse um pouco de atenção dos governantes!

Thiago disse...

O progresso só aponta para uma direção: o desenvolvimento humano sustentável. Se junto veio desmatamento, violência, desemprego e outros problemas sociais, é porque não houve progresso.

Espero que os recursos da copa não traga junto os problemas que você citou, mas infelizmente é o mais provável, uma vez que Manaus não está livre do mal que assombra todos os centros urbanos brasileiros: má gestão dos recursos públicos.

Anônimo disse...

Uma correção no texto: Torrinho é um compositor mineiro.

http://www.mpbnet.com.br/musicos/torrinho/index.html