terça-feira, 4 de agosto de 2009

DAR A CÉSAR OU A DEUS? EIS A QUESTÃO.



Mensagem pregada no domingo, dia 02 de agosto de 2009, no Abrigo R15, baseada em Mateus 22.15-22.
Ao pronunciar essa frase famosa, Jesus quer nos mostrar que coexistimos com dois reinos distintos. O do céu e o da terra. São dois reinos que estamos envolvidos quer queiramos ou não.
Vemos no contexto que Jesus estava sendo perseguido pelos líderes eligiosos de forma sutil, tendo estes criado várias “cascas de banana” para que Jesus escorregasse.
Essa foi mais uma arapuca que os fariseus armaram pra fazer Jesus ficar desmoralizado.
Na mesma manhã desse mesmo dia, Jesus se saiu triunfalmente por meio de uma contra-pergunta, derrotando seus opositores invejosos. Jesus chega a desmascará-los chamando-os de assassinos.
Mas esse confronto não os induziu ao arrependimento. Ao contrário, tornaram-se mais decididos em matar Jesus. Confabularam e conspiraram clandestinamente em como poderiam surpreendê-lo em alguma contradição, e assim ter provas legais com que acusá-lo e condená-lo à morte.
PARTIDOS DA ÉPOCA
= FARISEUS E ESCRIBAS – REVOLTADOS
= Eram zelosos da Lei, não se contaminavam com os pecadores, e aguardavam a ação disciplinadora e justiceira de Deus acabando com os pecadores de uma vez por todas, e eles somente sendo salvos no final.
= ESSÊNIOS – ALIENADOS.
= Se consideravam filhos da luz, incontaminados, se refugiavam do mal do mundo em mosteiros no deserto.
= ZELOTES – EXTREMADOS
= queriam estabelecer a mudança pela força das armas e da violência.
= HERODIANOS – CONFORMADOS
= Partidários simpatizantes do império, colaboradores de Herodes, empáticos com a família deste, e alimentavam o status quo político de Roma.
= SADUCEUS – COLABORADORES - classe elitizada, partidária da família de Herodes, compunha o Tribunal dos Judeus e a maior parte deles eram composta de sacerdotes endinheirados que trabalhavam no templo.
= Pense bem...você vê nos dias de hoje, seguimentos cristãos e muitas congregações que tendem a ser partidárias de alguns dessas tendências do tempo de Jesus?
A ARAPUCA
A palavra surpreender aqui é o vocábulo grego pagis, atar, amarrar, fixar, armadilha, laço, arapuca, cilada.
E aqui a armadilha se faz bastante camufladamente sutil nos seguintes aspectos:
1. Os fariseus que queriam destruir Jesus, enviam os jovens aprendizes alunos de escolas rabínicas, para causar a impressão de autenticidade, como se tivessem real interesse em aprender. E os instruíram a se aproximar do Divino Mestre com demonstrações de respeito.
2. No mesmo versículo 16, outro da¬do chama a atenção: “enviaram seus discípulos com os herodianos...”
= Combinação estranha essa... Esse comitê misto é a soma de duas facções religiosas oponentes, mafiosas, com sua máscara de religião, usam os jovens aspirantes como testa de ferro para tentar levar Jesus a cair em uma armadilha.
Mesmo quando estão em campos opostos, é incrível a capacidade dos maus de se unirem contra o bem. Os fariseus anelavam a independência e supremacia de israel, e odiavam os romanos; os herodianos apoiavam a família de herodes, que recebeu seu poder dos romanos.
O ensino de Jesus equivalia a uma reprovação aberta da justiça própria dos fariseus e também do conformismo mundano dos herodianos, que eram judeus de influência, poder e posição que eram favoráveis aos costumes gregos e à lei romana na época do NT.
Assim, embora encarniçados adversários, fariseus e herodianos encontram-se irmanados neste episódio, em busca de um fim comum: o deicídio, ou seja, matar Jesus.
= Diante da pergunta capciosa, se Jesus apoiasse pagar o tributo imperial, ficaria exposto ao ódio da multidão de judeus injustiçados, espoliados e extorquidos pelo império romano. Se apoiasse a sonegação do imposto, seria denunciado às autoridades romanas como agitador revolucionário, como zelote, um incitador do povo.
O TRIBUTO
Era um imposto per capta, por cabeça, ou seja, o procurador romano cobrava, através de uma rede de publicanos de cada um dos adultos masculinos da Judéia, e era repassado para o tesouro imperial.
A SURPREEDENTE RESPOSTA DE JESUS
“DAÍ A CESAR O QUE É DE CÉSAR, E A DEUS O QUE É DE DEUS”.
Jesus calou os líderes religiosos de forma magistral, estabelecendo aspectos fundamentais pelos quais devemos viver nesse mundo.
3 COMPRESSÕES SOBRE O QUE JESUS DISSE:
1. SOMOS CIDADÃOS DE DOIS REINOS E HABITANTES DE DOIS MUNDOS DISTINTOS: O DE CÉSAR E O DE DEUS.
2. QUE DEVEMOS DAR A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR.
= O reino dos homens, o reino terrestre, o poder temporal com todas as obrigações e deveres que compete a ele.
= Apesar de o mundo jazer no maligno, de existir um império das trevas por trás dos impérios dos homens manipulando e marionetando suas ações, existe um forma de vivermos bem aqui, na cidade em que moramos, cumprindo nossos deveres como cidadãos do reino terrestre no bairro que moramos, fazendo o bem e ajudando a melhorar as condições urbanísticas, a limpeza das ruas, a ter menos acidentes no trânsito, menos criminalidade e violência, menos crianças dormindo debaixo das marquizes do centro e menos crianças viciadas em cola e craque, sendo isso, nosso dever como cristãos e cidadãos que vivem na cidade.
= SEM ESQUECER NOSSA CIDADANIA CELESTIAL, DEVEMOS ATUAR COMO CONSPIRADORES DO REINO DE DEUS NA TERRA, NO CONTEXTO DA CIDADE DE MANAUS, DEVEMOS INFLUENCIAR POSITIVAMENTE OS QUE NOS RODEIAM.
=Paulo fala que o cristão não deve viver alienado do mundo, mas que devemos viver como cidadãos terrestres, do modo digno da vocação a que fomos chamados.
no capítulo 13 da carta de Paulo aos romanos, ele diz que devemos obediência civil, que os mandatários e magistrados e autoridades públicas são instituídas por Deus para o bem da cidade.
Paulo também diz: “pagai a todos o que é devido, a quem tributo, tributo, a quem imposto, imposto, a quem respeito, respeito, a quem honra, honra”.
= Jesus nos envia para o mundo, e pede ao pai, que não nos tire do mundo mas sim, que nos livre do mal.
= Jesus nos chama de sal e luz do mundo, com todas as implicações e responsabilidades de preservar, dar sabor, iluminar, fazendo desse mundo um lugar melhor, e uma diferença saudável na comunidade na qual estamos inseridos em Manaus. Nunca foi da vontade de Jesus que sua igreja se acastelasse num mosteiro, ou fosse como um avestruz que põe a cabeça no buraco diante do mínimo perigo.
3.QUE DEVEMOS DAR A DEUS O QUE É DE DEUS
= o nosso compromisso com o reino dos céus É INEGOCIÁVEL E SUA CAUSA, NOSSO MAIOR INVESTIMENTO.
Mateus 6.33 diz que devemos buscar o reino de Deus e a sua justiça como prioridade número um em nossa vida.
= no caso de César adentrar na área de ação exclusiva de Deus, e reivindicar o que é Dele, caia fora, salte e puxe a corda do pára-quedas.
= Se os valores do reino da terra se chocarem com os do reino do céu, se ultrapassarem os limites demarcados por Deus, e se o obrigam a fazer algo que é contra a sua própria consciência cristã, então é hora de dizer como Pedro: “mais importa obedecer a deus do que aos homens” –At5.29.
= Nesse sentido, o cristão deve estar livre de toda imposição que o oprima ou leve a perder qualidade de vida, avilte sua consciência ou ameace sua liberdade em Cristo.
= Nesse caso, ele precisa conhecer o propósito de Deus pra sua vida, estudando a fundo as Escrituras, e tendo intimidade com Deus em oração.
DEVEMOS SOBRETUDO, ENTENDER QUE VIDA CRISTÃ ENVOLVE TODA A VIDA E O DISCIPULADO EXIGE UM PREÇO ELEVADO PARA QUEM QUER SEGUIR A CRISTO.
Devemos aqui enfatizar 4 coisas importantes:
A. Um conceito platônico de espiritualidade que não inclua toda a vida não é verdadeira espiritualidade bíblica.
B. Uma idéia de um discipulado que atue só no âmbito religioso é nocivo ao padrão elevado do NT. O discípulo de Jesus vive 24 horas por dia, antenado na comunhão com o Mestre.
C. Dar a Deus o que é de Deus envolve, além da inteireza do ser, a mordomia de todos os setores da vida em obediência à PD, à disposição da causa do Reino de Deus a todas as demandas que isso implica.
D. No NT Deus exige o envolvimento de toda vida, incluindo a parte financeira que muito além de 10%, compromete o cristão a ser responsável direto da igreja de Cristo ser mantida em todos os seus ministérios, verificando se não há falta de recursos, e se os pobres da comunidade estão sendo assistidos.
E. Um cristianismo que não traga mudanças reais na sociedade é só um movimento alegre sem consistência e sem relevância para o Reino de Deus e para a sociedade.
= Aqueles primeiros cristãos agiam como um movimento silencioso e subversivo, se infiltrando na sociedade e promovendo mudanças concretas.
E1. Criativa e ousadamente eles confessavam o senhorio de Cristo e o seu reinado único e soberano sobre a terra, em detrimento do César se declarar SALVADOR DO MUNDO E ÚNICO DEUS A SER ADORADO E TEMIDO.
= Na moeda em questão, em um lado tinha a inscrição:
TIBÉRIO CÉSAR AUGUSTO
FILHO DO DIVINO AUGUSTO
= No outro lado da moeda:
PONTIFEX MAXIMUS
SUMO SACERDOTE
= ELES DECLARAVAM PUBLICAMENTE QUE SÓ HAVIA UM REI E SENHOR: JESUS CRISTO, O ÚNICO SUMO SACERDOTE A SER ADORADO E TEMIDO.
E2. Eles se utilizavam do termo ekkklesia, igreja, a organização política dos cidadãos de uma cidade conquistada por Roma, e introduziram um significa do novo ao termo, a nova sociedade dos redimidos, transformados pelo poder do ES.
Isso bem debaixo das barbas do Império e do nariz de César.
E3. Isso nos leva a buscar formas criativas de invasão clandestina, silenciosa e subversiva, de alcance do Reino, bem debaixo das barbas do anti-reino, do império de satanás, produzindo o efeito grão de mostarda, devagar e sempre, sem alarde, mas efetuando as mudanças necessárias pra o Reino ir adiante.
E4. Quais as recursos que temos, e as frentes de trabalho que o abrigor15 pode se utilizar visando criar mudanças sérias e concretas na cidade que vivemos?
PENSE E AJA DE ACORDO COM SUA CONSCIÊNCIA E A FORÇA DE SUA CHAMADA PARA REALIZAR A VONTADE DE DEUS DE FORMA LIVRE E PESSOAL.
Isso é válido pra você questionar, julgar e provar profecias, mandamentos e doutrinas de homens, e não cair na lábia de pregadores com palavras imperativas, carregadas de autoritarismo que vão acabar por ferir sua consciência e extrapolar os limites da Palavra de Deus.

3 comentários:

Gui disse...

Que massa entender como Jesus é surpreendente.
Saindo da arapuca com inteligência e ainda ensinando princípios importantes da fé.
Eu kero um pouco desse discernimento pra sair de arapucas como essas, q de vez em quando me assolam.
Tb kero inteligência e maturidade cristã pra me infiltrar em ambientes, e sutilmente proclamar as verdades do Reino.
Muito boa a pregação Manel.
PS.: Toma cuidado com a ortografia. Tem várias vezes a palavra "deus", quando deveria estar "Deus".
Mas sei q o pessoal vai entender, num kero coar um mosquito não, hehehe.
- Que Deus continue te iluminando e te livrando de arapucas que possam te assolar;
- Q o Senhor renove sempre as tuas asas e o teu bico como fazem as águias, pra q vc voe levemente por onde quer que o vento do Espírito Santo te levar;
- Q o Espírito Santo te envolva c muita sabedoria pra entrar em ambientes áridos, e alí, com sutileza e com amor, fazer jorrar a Fonte de Água Viva.
Em nome de Jesus!
God bless you Manel!

Micael Pinheiro Silva disse...

Legal o texto. Pra quem ouviu a pregação domingo é um ótimo complemento. Pra quem não ouviu, é um prêmio de consolação.
Adorei a contextualização do cenário político da época.

markeetoo disse...

Essa pregação eu perdi, ainda bem que tem um resuminho aqui ehehe.
Essa passagem é reveladora pra quem pende pros dois extremos... ou da obediência cega ao Estado ou pra anarquia generalizada de não se submeter a nada.