domingo, 6 de setembro de 2009

AJUNTAMENTO DAS TRIBOS - Rio de Janeiro


Estamos no Rio de Janeiro. Eu, Markito e Nina para participarmos do Ajuntamento das Tribos, evento da Comunidade S8. Viajamos em um boing cem por cento brasileiro fabricado pela Embraer, da empresa Azul. Passei praticamente a noite sem dormir direito. Muita turbulência. Parecia que tava andando de mula em Indaiatuba, interior de São Paulo.
Chegando ao Rio pegamos um taxi em direção do condomínio Santa Genoveva no bairro de São Cristovão onde deixaríamos nossas bagagens e sairíamos para um passeio pela cidade com o Jonathan e Paola (ele é amigo da Nina) que seriam nossos cicerones. A entrada desse conjunto residencial é um portal elegante datado de 1917. Trata-se de um complexo de sobrados antigos que fica perto da quinta da boa vista, onde D. Pedro I morava. Na parte de trás, caminhando em ruelas de paralelepípedos do condomínio com árvores centenárias nas calçadas, vislumbra-se a encosta do outeiro do corcovado com o Cristo visto de lado lá em cima, e ao longe, na rua de baixo, pode-se ver o casarão presenteado por D. Pedro à marquesa de Santos.
Deixamos nossas malas, tomamos o ônibus e nos dirigimos para a praia. Andamos na areia da praia do Leblon contemplando as ondas de águas verdes baterem com violência na areia. Depois subimos na pedra do Arpoador e ficamos lá em cima sentindo o vento do mar e vendo os surfistas fazerem suas manobras radicais. Sem dúvida o Rio de Janeiro continua lindo...
Nessa manhã andamos muito a pé e de ônibus. Até correr atrás de ônibus corri. Nada mal para uma atleta experimentado como eu!
Mas sufoco mesmo enfrentamos na ida para Niterói, pois tivemos que ir de ônibus comum com “mala e cuia” tendo que passar as bagagens e mochilas por cima da roleta. Mas logo fomos recompensados pela grandiosidade da paisagem sobre a ponte Rio-Niterói.
Na cidade encontramos um casal sensacional que nos acolheu de coração e portas abertas: André e Rafaela (amigos da Nina), que indubitavelmente tem o dom de hospitalidade. Com eles conhecemos a orla da cidade e na volta do passeio fomos ao Paludo’s, restaurante muito bom onde degustei um peixe marítimo chamado Haddock (igual o nome do carismático capitão, companheiro inseparável do Tintim) muito bem temperado e gostoso.
Depois o André carinhosamente nos levou a cidade histórica de Itaboraí, local que serviria de cenário para o Ajuntamento das Tribos, realizado em um acampamento da Primeira Igreja Batista de são Gonçalo. Na praça de Itaboraí, pude ver a casa de veraneio da princeza Isabel, com um chafariz no jardim e embaixo da fonte um túnel subterrâneo secreto que dava acesso igreja da cidade. O acampamento é uma área linda, repleta de árvores frondosas e frutíferas por toda a sua extensão. Em uma área reservada, montamos a barraca do Markito e Nina em meio a dezenas de outras que já haviam se instalado na grama debaixo das árvores.
O programa deu início com o grupo de louvor da Comunidade S8, que tocou suas músicas em ritmo de rock progressivo e uma turma de gente marcada pelo estilo underground (e outras não) com drad nos cabelos, vestindo camisas indianas coloridas, usando alargadores e piercings de todos os tamanhos, expondo tatuagens que eram verdadeiras obras de arte, todos dançaram e louvaram a Deus de forma livre e espontânea. Nunca vi tanta unção de Deus e expressões de quebrantamento numa adoração. A mensagem foi feita pelo Gideon, um cara culto, sociólogo que nos presenteou com uma instigante meditação no salmo 23.
O resto do dia foi de contatos preciosos com líderes e pastores de vários ministérios na área de evangelização urbana.
Impressionante como tudo por aqui é acentuadamente ecológico. Vi muito gado pastando no terreno vizinho e muitos micos vieram dar seu show pulando nas árvores do sítio.
Mas como eu sou hippie só até certo ponto, pedi a Deus que levantasse uma alma caridosa para me hospedar durante à noite, pois não queria dormir de qualquer jeito. Então apareceu o casal Junior e Soraya. são membros da Comunidade S8 e abriram amavelmente sua casa e me instalaram no quarto do Cristiano, filho do casal, garoto esperto, inteligente e carinhoso como os pais. Então ficou assim: Passo o dia todo no congresso, mas a noite durmo na casa deles, e o convívio com eles tem sido muito edificante.
De manhã cedo, abro a janela e no quintal da casa, uma coruja se aninha em uma árvore seca, e dezenas de passarinhos fazem aquele algazarra com sons estridentes anunciando a chegada de um novo dia.
continua...

6 comentários:

Edjane Macedo disse...

Pow fiquei imaginando a cena, vcs correndo atrás do busão com malas e cuias..hehe..
Legal esse ajuntamento heim? Estou esperando a continuação dessa aventura de vcs!
Abraços!

markeetoo disse...

pow foi bom demais ehehe.
Agora estamos em casa com as boas lembranças dessa aventura. E realmente o Rio eh lindo!
Quero ler a parte2 ehehe

Micael Pinheiro Silva disse...

Pow essa viagem, apesar de curta, parece ter sido muito boa. Mas é ótimo tê-lo de volta, recarregado das idéias.

Janaina Motta disse...

kkkkkkkkkkkk show de bola essa aventura... a do onibus então, nem se fala, imagino a correria atras dele... mas o mais importante foi o ajuntamento das tribos... várias raças, tipos e estilos diferentes com a mente e o coração voltados pro mesmo propósito... Jesus Cristo!!! amei a aventura!!!!!!!!!

janssem disse...

Essa sua desrição tão rica me senti lá! fazendo parte desse momento tão bonito! quero ir ano que vem!

Hugo disse...

ola pessoal , me chamo Hugo e gostari muito de saber ql é o nome da debatende de dança q eseve com vcs!!!

meu email é hsoliv@gmail.com

Grato