segunda-feira, 12 de outubro de 2009

PASTORES DE VERDADE. ONDE ESTÃO?



Semana passada experimentei um recesso de criatividade (não twitei muito, não conversei no MSN, não postei texto novo no blog) o que me levou a cumprir com a rotina nossa de cada dia, estudando para elaborar o sermão de domingo, telefonando para amigos, me encontrando com pessoas em cafés para conversar, fazendo visitas a idosos e a famílias carentes da área pobre do bairro da Cachoeirinha e outras atividades pastorais corriqueiras.
Sugerido por um blogueiro no twitter (genizahvirtual) li um texto de Nelson Bomilcar muito bom que falava sobre os pastores à moda antiga, aqueles que eram pastores de verdade no sentido lato da palavra e que fazem muita falta hoje em dia nesses tempos de enxurradas dos auto intitulados pastores, bispos, apóstolos e semideuses de araque. Triste de ver nos dias de hoje, mas o que proliferam aos montes, são por um lado, pastores mercenários, marionetes de Mamom (o deus do dinheiro), insaciáveis amantes de si mesmos, narcisistas, movidos pelo egoísmo e pela auto-idolatria, vendedores de falsa imagem, de falsas unções, gente emburrecida, despreparada, que atropela o vernáculo pátrio, e que não sabe nem pra onde vai pronomes de tratamento e a concordância verbal, e no campo espiritual, não tem a menor intimidade com As Escrituras, desconhece descaradamente noções básicas de hermenêutica, exegese e princípios básicos de teologia e doutrina cristã. Por outro lado, existe uma gama de pastores formais, abarrotados de diplomas de teologia, sentados em suas poltronas confortáveis, ditando a mais nova moda teológica provinda de seus gabinetes atapetados.
Infelizmente a safra de pastores de verdade está passado...uns já se foram, como o saudoso pastor Caio Fabio D’Araújo, que unia sabedoria, cultura geral, espiritualidade e piedade como muitos jamais souberam fazer, e outros que hoje estão doentes e alquebrados pelo avançar da idade, como o pastor Frederico Orr, tão bíblico e comprometido com a ética do Reino.
falando nisso, essa semana visitei o pastor Ivan Moreira. Esse sim, sabe usar bem a língua de Camões. Discípulo do pastor João Chrisósthomo, pregava com paixão e eloqüência, com dicção impecável. Seus sermões eram um primor de palavra. Educado em contexto humilde, freqüentou a Igreja Presbiteriana de Manaus desde criança, estudou no Grupo Escolar Ribeiro da Cunha, depois escolheu como profissão ser funcionário do IBGE, trilhando esse caminho até a aposentadoria. Mas ainda jovem desejou seguir o pastorado, no dizer do apóstolo Paulo, almejando excelente obra, trabalhou nas fundações de trabalhos de evangelização em bairros antigos e novos como São Jorge, Crespo, Educandos, pastoreou no bairro de Flores (I.P.Filadelfia) e fundou um trabalho de evangelização recente que iniciou em sua própria casa, e tantos outros. Pena que a igreja às vezes se torna ingrata e insensível com os líderes que se doaram no trabalho de Deus.
Hoje, quase abandonado pela denominação, e esquecido pelas igrejas às quais trabalhou e deu a vida, já idoso amarga um terrível diabetes, e dentre os muitos achaques da velhice, uma disfunção nos rins, fato esse que leva a família a se desdobrar em cuidados, inclusive levando-o dia sim outro não para fazer hemodiálise. Dona Zuleide, a esposa dedicada, sempre ali, diuturnamente cuidando do marido. Ela lembrou a nós, visitas, os primeiros anos de muitas lutas, no início do casamento, e como conseguiram a casa no conjunto residencial que até hoje moram (Parque 10), um dos primeiros de Manaus, coadjuvado pelo prestimoso pastor João Chrisósthomo que consegui a casa junto a Cohabam, recém construída nas imediações do limpíssimo igarapé do Mindu (hoje, um esgoto a céu aberto).
imagine esssa cena...Estou diante do Ivan, meu amigo. Sentado em sua cama, o corpo insiste em permanecer numa postura elegante, em posição ereta. Fala ainda com dicção primorosa, forçando nos “erres” e dando a finalização certa nas palavras que terminam com “ele”. Com uma mesinha portátil diante de si, degusta seu café da manhã, com itens parcos de uma dieta rigorosamente imposta pelo médico. Emociona-se. Mas ainda extrai da mente lúcida, um trocadilho de Rui Barbosa sobre atas, depois que conversamos sobre as frutas que ele pode comer. A Eró pediu para ele cantar. Ah, canta “Almas Gêmeas", pastor. Então ele, apesar do incômodo das escaras abertas nas costas que teimam em não sarar, emite um som agudo, canta o hino, o que ainda lembrou o Ivan cantor de muitos casamentos e cultos de outrora. Depois ele diz a mim: meu irmão, estou preparado para encontrar com Jesus. Tenho sonhado muito. Em uns sonhos, sonho pregando nas igrejas e em outros, sonho com meus pés pisando e caminhando pela Pátria Celestial!
Mas tenho certeza que Deus há de preservar a vida do Ivan até o dia em que Ele achar por bem levá-lo à eternidade. Até mesmo, para aqueles que não o conhecem poderem conhecer um pastor com P maiúsculo, e os que se esqueceram de honrá-lo em vida, ainda em tempo, poderem dar um mínimo telefonema que seja, agradecendo os anos de dedicação de alguém que se doou de corpo e alma pela causa do Mestre.
Pastores assim, não se produzem mais...A SAFRA ESTÁ ACABANDO!

5 comentários:

Edjane disse...

Lamentável, ver homens que conhecem a palavra, q estão dispostos a servir a aproximar as pessoas verdadeiramente de Deus, assim esquecidos, desprezados pq já "já saiu de moda" dando lugar a pastores muito longe de serem pastores de verdade!
Sentir falta de postagens novas, mas é bom saber q, como os pastores da moda antiga, o Senhor estava empenhado fazendo a obra DELE.

Marilena Silva disse...

Agradeço a Deus o fato de ter convivido e ser cuidada como filha pelo Pr. Caio e ter tido a oportunidade de crescer ouvindo as palavras dele e tb do Pr. Ivan e João Chrisóstomo, lembro ainda do Pr. Antonio Elias que algumas vezes veio a Manaus e o Pr. José Mattos com sua oratória impecável...saudade desses homens de Deus.

markeetoo disse...

assim como as igrejas hj têm se tornado grandes corporações, os pastores consequentemente se tornam grandes empresários que parecem mais seguir manuais de marketing pessoal e outras Bíblias do mundo corporativo do que a Palavra mesmo...

ainda bem que existem ainda pessoas que conheceram esses pastores da velha escola e que ainda os visita, levando carinho e cuidado. Que vc e outros continuem fazendo esse belo trabalho!!

Rodrigo disse...

Lembro quando eu era da Igreja Batista... O pastor vinha visitar a minha querida avó, e eu, esperando o filme da sessão da tarde passar... Ele batia palmas e eu sabia que tinha que desligar a nossa única tv, colocar uma camisa e sentar para ouvir o que ele tinha a dizer... e as vezes o que tinha a perguntar. Me irritava tanto quando eu era moleque. Por várias vezes lembro-me dessas visitas.
Minhas tardes tentando assistir Robocop, eram substituídas por demonstrações de perguntas sobre a escola, lições bíblicas e acompanhamento. Que me incomodava só porque eu não tinha noção de quantas vezes o Robocop seria reprisado e que aquilo me faria tão bem mais tarde.

Pastores de verdade.
Obrigado Senhor!

The Reverend disse...

Vou mais alem......

Esses pastores estão por ai, eles nao sao vistos nas grandes congregações, nas "empregrejas"..........

estão com os pobres e escondidos em ministerios que ninguem reconhece....

Deus pela loucura da fé levantará esses homems e nao deixará que seu povo fiquem sem "pastores segundo o seu coração que apascentem seu povo com amor, fevor, sabedoria e inteligencia"