quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Aconteceu em 2010



2010 foi um ano de recesso. Uma espécie de ano sabático socio-cultural. De recolhimento na caverna da reflexão íntima. Não, não deixei de cumprir meus afazeres e compromissos como pastor e não deixei de fazer novas amizades, ler livros fantásticos, ver bons filmes e buscar conhecimento e cultura como sempre fiz. O que aconteceu, afinal?
Meu recesso se caracterizou pela abstinência de internet, na saída deliberada do twitter, do gmail, do facebook, do orkut, no início, não totalmente, mas aos poucos fui me distanciando do mundo virtual. O blog foi também abandonado por um tempo considerável.
O motivo não foi por causas religiosas ou místicas, mas senti uma necessidade de desacelerar minhas atividades nessas áreas, visto que me sentia incomodamente dependente delas e meio robotizado, automatizado pelo imperativo de entrar na corrida cibernética. E isso não é uma coisa que recomendo como algo que possa adicionar a espiritualidade de ninguém. Foi uma experiência minha, pessoal e intransferível.
Mas nem por isso foi um ano ruim. Ao contrário, 2010 foi o ano que Káiros, meu netinho tão esperado, nasceu.
Casei cedo, fui ordenado pastor muito cedo, tive filhos muito cedo e pensava que seria avô bem cedo. Mas as circunstâncias permitiram que fosse avô somente aos 51 anos de idade.
A espera foi aparentemente longa, mas quando se sente o corpinho do netinho tremulando nos braços, se vê seus olhos claros arregalados, se ouve seu chorinho suave, se sente suas mãos e pezinhos se movimentando, todo questionamento desaparece. Me ocorre hoje, que minha experiência como avô veio no tempo certo. Igualzinho ao nome que Mical e Laurence puseram no menino: káiros, no original grego do Novo Testamento, o tempo de Deus, a plenitude dos tempos. Nem um minuto a mais ou a menos. Tudo acontece dentro do propósito eterno e no tempo certo de Deus.
Quando a Mical morava ainda em Indaiatuba, cidadezinha do interior de São Paulo e nos comunicou pelo telefone que estava grávida, sobreveio ao meu coração aquela sensação maravilhosa de completude, de continuísmo, a certeza de que a gente enquanto ser finito faz parte de um desencadear de experiências que se perpetuam, se expandindo nos filhos, depois nos netos e se expraiam no genes na geração daqueles que saíram de você. E isso é milagre e é fantástico.
Quando acabei de falar com minha filha, fui me debruçar no muro do patio da casa que dá pra rua, olhos marejados, sensação de louvor e gratidão a Deus.
Mais tarde, quando apanhei nos braços o pequenino Káiros, magrinho, canelinhas finas, rostinho rosado, saudável, mãos e pés perfeitinhos, olhos grandes e vivos, senti uma enorme sensação de gratidão diante de Deus, de reconhecimento de Sua fidelidade, e ali na enfermaria do Hospital Balbina Mestrinho, “viajei” como que vendo um filme...meu pai mais de cinqüenta anos atrás, me segurando nos braços, depois, eu mesmo segurando a Mical nos braços 28 anos atrás, e eu agora apertando nos braços o frágil Káiros. Me veio imediatamente à mente o texto do salmo 128, que fala que o homem que teme a Deus verá os filhos de seus filhos.
Hoje, três meses depois de nascer, vejo o Káiros deitadinho entre minhas pernas, agitando pés e mãos, tentando travar contato com o avô, crescendo, se robustecendo à base de leite materno, olhos vivos, desenhado risinhos deliciosos nos lábios, ensaiando gargalhadas diante das palhaçadas que o avô faz, não vejo a hora de vê-lo dando os primeiros passinhos, balbuciando as primeiras palavras, ouvindo as primeiras histórias contadas pelo avô.
Como 2010 está terminando com dois novos posts no meu blog, isso pode até servir de prenúncio de um 2011 promissor em termos de publicações, com a volta à rede virtual de relacionamentos, o insert de novos textos e de novos desenhos no blog, mas isso tudo temperado com uma boa dosagem de espontaneidade o que produzirá atividades que realmente vão valer a pena de serem vivenciadas, em plenitude de vida e plena realização pessoal.
Desde já desejo um feliz Natal e um 2011 com muita vida abundante a todos!

6 comentários:

Edjane disse...

Que bom q voltou (estava com saudades desse cantinho) e com um texto lindissímo me emocionei, que Deus abençoe o pequeno Kairos! Parabéns pelo lindo netinho.

markeetoo disse...

Poizeh, eu era um dos que ficava enchendo o saco pra vc naum sumir da internet, mas nesses temos vejo que foi bom pra você ehehe.

A vinda do Kairos realmente foi o feito do ano pra nossa família. E ler essa sua descrição toda é emocionante heheh.

Que venha 2011 com mt coisa boa pela frente!

Micael Pinheiro Silva disse...

2010 já pode ser considerado um dos melhores anos só pelo fato de termos ganhado o pequeno Kairos na família. Valeu também por inspirar o novo texto.

Marilena Silva disse...

Bem emocionante esse texto. Realmente a gente não sabia que o Káiros fazia falta até agora, e agora não dá pra imaginar a vida sem seus olhinhos espertos e curiosos e seu sorriso gostoso. Eh! sou vovó babona mesmo!!!!

mix disse...

lindo texto! Eu fico feliz de poder ser o canal por onde Deus proporcionou essa benção pra tua vida.
O Kairos veio no momento certo mesmo, como diz o próprio nome dele... e é uma alegria pra todos nós.
Realmente ele nasceu muito magrelinho e com as canelas fiiiinas... agora tá grandão, crescendo e tomando corpo... PErfeição, presente de Deus!
Amo vcs!

Regininha disse...

Quando nasce uma criança, a vida recomeça. Que Deus abençoe todos os dias a vida desse pequeno!!