quinta-feira, 19 de maio de 2011

NÃO ACREDITO MAIS...

Três coisas que não acredito mais, e outras tantas que creio com toda convicção de minha alma...
...NÃO ACREDITO EM NOTÍCIA DA MÍDIA EM GERAL.
Sou cético quando ouço alguns noticiários ou algumas reportagens. O alarme de meu instinto questionador é logo acionado e me pergunto se de fato as coisas são como são passadas pelos meios de comunicação ou se são produzidas sob encomenda, de acordo com o gosto do cliente da vez.
Há muita incoerência e contradições em tudo que se diz em notícias.
 Com raras exceções admito que haja cunho de verdade em algumas notícias, quando o fato é comprovado de forma óbvia e incontestável, mas via de regra, as noticias são tendenciosas, encomendadas, e atendem a interesses de poderosos, políticos, empresários, etc. Um exemplo recente, pra não falar de muitos outros... O que se pode extrair de verdade dessa notícia mirabolante sobre a morte de Osama Bin Laden? Quais foram as verdadeiras circunstâncias dos fatos? Onde estão as fotos? Onde está o corpo? E porque justamente na hora que o presidente Barak Obama está despencando na opinião pública e perdendo prestígio sendo ameaçado em perder as próximas eleições, então aparece no cenário mundial essa extraordinária façanha da morte do inimigo número um dos EUA, pela eficiente força de elite americana?
Tudo isso me deixa com a pulga atrás da orelha...
...EM PALAVRA DE POLÍTICOS.
Esses então, nem se fala. Aí é que não acredito mesmo. Não perco meu tempo lendo espaços dedicados à política em revistas e jornais. Não acredito em político, ressalto.
Com exceção de alguns raros exemplares em extinção nos quais ainda detecto resquícios de honestidade e probidade, e fora isso, a grande maioria que está aí é corrupta, patife e salafrária, como diria meu pai, composta de gente degenerada que arromba os cofres públicos, saqueia as verbas da previdência, dos aposentados e malversa até o dinheiro destinado à merenda escolar, causando todo tipo de escândalo. E isso não acaba nunca, infelizmente. É só esperar pra ver.
Hoje vejo falastrões rechonchudos, (será se eles vão espocar de tanta ganância?) com seus paletós e gravatas caras, acomodados em suas poltronas confortáveis, vomitando verbosidades inócuas, esses que hoje se assentam nos bancos da CPIs arvorando-se em juízes, que batem o martelo e condenam ou absolvem os políticos acusados de fraudes e escândalos financeiros, mas quando passam alguns meses, esses mesmos que eram árbitros intocáveis, se tornam aqueles que vão se assentar nos bancos dos réus.
É por essa e outras que não dou a mínima para palavra de político...
...EM IGREJA INSTITUCIONAL.
Não acredito mais na igreja enquanto instituição. Não falo da igreja dentro da igreja. Da igreja de Jesus, a Sua Noiva. Ao contrário, cada vez mais amo a Jesus e Sua Palavra e me empolgo cada vez mais com a igreja pela qual, Ele se entregou.
Mas questiono hoje os rumos que estão sendo tomados por essa igreja que está aí, dos “programas gancho”, das regras, do legalismo mortal, da disciplina impiedosa, da santidade imposta e vigiada, diametralmente distanciada da santidade fincada em uma espiritualidade que desagua na liberdade consciente, individual e intransferível que deve ter cada cristão.
Não acredito nessa igreja aí, que cresce e se impõe pelo abuso espiritual, na igreja do nefasto tráfego de influência, do autoritarismo exacerbado, dos pastores avaros que só querem encher seu ventre com dinheiro, luxo fama e reconhecimento. Esses tais, considero que nem impigens insaciáveis, quanto mais comem , mais querem...
Não acredito em evangelismo pegadinha ou arapuca, mas acredito convictamente na igreja conspiratória, sem cara de igreja, mas que está lá no mundo, em lugares inesperados, fora do culto religioso, vivenciando o culto da vida, nas fábricas, nas rodadas de amigos, sendo igreja fora do saleiro, influenciando com amizade despretensiosa, com bem menos papo religioso e com bem mais interesse, amor e solidariedade cristã, virtudes essas essenciais, que podem mudar a sociedade para melhor e produzir verdadeiro despertamento espiritual na nação apodrecida.
Creio na igreja que se envolve no mundo e se imiscui na sociedade sendo sal e luz do mundo, e não da igreja. Creio na igreja despojada de evangeliquês, com menos jargões desgastados, e com mais influência de perfume de Cristo, segregando sutilmente Sua fragrância tanto nos que se perdem, como nos que estão sendo salvos.
Creio na humanidade, carimbada pela Imago Dei, a marca do Reino sutilmente disseminada no mundo, na benignidade como fruto do Espírito, que vê e acredita no melhor do outro, mesmo que as atitudes e reações sejam marcadas e lambuzadas pela Queda. Na potencialidade da Graça Comum que pode um dia se transformar em Graça Especial, e que levará inevitavelmente o homem ao pleno conhecimento da Verdade.
É...Em alguns momentos sou absolutamente cético... Mas em outros, sou completamente crente, sendo absorvido pelo fascínio do Reino de Deus, me surpreendendo eu mesmo, um pecador contumaz, sendo arrastado e atraído pela Graça Irresistível, e me vejo, muitas vezes, admirado por seus efeitos sobre o mundo perdido, e só posso me quedar, quebrantado, diante dos fatos e dizer: Milagres do Rei.

4 comentários:

Wall Falcão disse...

Nem eu...
A Bíblia ja diz:
"julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal."( 1 Tessalonicenses 5.21,22).

AlyCampos disse...

Realmente os fatos nos impulsam, o histórico castiga. No mundo atual tem muita coisa distorcida, valores invertidos em todos os setores. Mas eu muitas vezes não consigo olhar sem ter esperança, até quebro a cara, quase sempre, mas continuo a acreditar que talvez algo diferente possa acontecer.

Micael Pinheiro Silva disse...

É duro de acreditar mesmo. Taí trës instrumentos de manipulação da massa. Mais triste é observar que às vezes os três estão juntos ou fazem parte de um mesmo bloco. Principalmente, a igreja que deveria ser o sal da terra. Graças a Deus pelo resistência, uma minoria que leva a Palavra de Deus a sério e podem ser a diferença nas mãos de Deus, justamente porque o número é irrelevante pra Ele.

Anônimo disse...

Admiro a sua iniciativa, mas a igreja já está maculada há séculos, e só um grande evento(drástico por sinal) para colocar tudo nos eixos. Mas, por enquanto, o que devemos fazer é nunca nos conformar com esse século... Principalmente com essa igreja.