quarta-feira, 2 de setembro de 2009

E O FOGO LEVOU... - Uma análise do poder do fogo na Califórnia e na vida.

Li a notícia no Globo:
INCÊNDIO DESTRÓI PARTE DOS ESTUDIOS UNIVERSAL EM HOLYWOOD.
- Um incêndio arrasou parte dos estúdios da Universal, reduzindo a cinzas cenários que apareceram em filmes clássicos como “De volta para o Futuro” e “King Kong”. As chamas também arrasaram um edifício de dois andares no qual eram guardadas as cópias de vídeos e filmes antigos, alguns datados dos anos 20.

Vejo, através da velocidade vertiginosa do satélite, configurada como imagens nítidas no monitor de minha televisão a notícia ao vivo e a cores, testemunhando com muita dor no coração o incêndio incontrolável invadir teimosamente uma vasta região da Califórnia. O fogo lambe impiedosamente o dorso verde de uma área lindíssima de jardins, bosques exuberantes e parques ecológicos magníficos.
Esse fato me deixa reflexivo por algumas lições que advém dessa tragédia fatídica.
A primeira percepção que tenho sobre esse fato, é que o que acontece na Califórnia, tem acontecido concomitantemente em outras partes do nosso planeta agonizante. Áreas verdes, parques milenares, reservas florestais do mundo inteiro estão sendo vítimas de incêndios devastadores, a superfície terrestre ficando cada vez mais escalavrada e calva com manchas imensuráveis de desmatamentos não só provocados pela negligência do homem predador, mas por fenômenos naturais como raios e faíscas que provocam queimadas, fruto do superaquecimento global inflamando galhos secos que se transformam rapidamente em labaredas indomáveis. E diante da força irredutível da natureza, o homem, destruidor de seu próprio habitat, se vê impotente e nada pode fazer.
Depois pensei que os tesouros terrenos não são eternos, os patrimônios da humanidade são perecíveis, por mais que sejam guardados e conservados. É um incêndio que destrói nos montes da Grécia arquiteturas milenares, é um deslizamento de terra que provoca a destruição de casarios antigos e igrejas centenárias em Ouro Preto, muitos objetos sagrados, círios, pinturas, esculturas e frisos do século 16 foram por águas abaixo rapidamente, e assim acontece em Holywood com sofisticados cenários de cinema e um acervo incalculável de rolos de filmes antigos sendo devorados por chamas obstinadas e tudo desaparece num piscar de olhos, sem se poder fazer nada.
Outra coisa, fenômenos naturais não escolhem classe social, cor ou religião. É notório o lugar onde o incêndio escolhe caprichosamente por cenário. Um lugar onde o metro quadrado de terra é um dos mais caros do planeta. A área afetada pelo incêndio é repleta de terrenos de astros e estrelas glamourosas de Holywood, agora com suas mansões e áreas privilegiadas sendo comidas pelo fogo, transformando tudo numa paisagem cinza, um monturo de material carbonizado e troncos de árvores enegrecidos retorcidos por chamas implacáveis.
E mais, se você perceber ou conferir de perto, aqueles que temem a Deus e os que não temem estão agora lado a lado, debaixo da mesma dor, da dúvida atroz, com suas casas destruídas e o desespero de ter que ter que recomeçar tudo de novo. Isso implica no fato de que o cristão fiel não está andando em uma linha acima do sofrimento e da dor. Ele também esta sujeito aos mesmos descontentamentos, a sofrer danos, a ficar doente e perder bens materiais. Nesse sentido a doutrina da prosperidade cai por terra diante da realidade nua e crua. Conheço a história de uma líder de repercussão nacional que pregava pela televisão que crente não ficava doente. Um dia ela sentiu uma dor intensa, não aguentou. Correu escondida para o hospital com medo que seus fiéis soubessem que sua mentora tinha ficado gravemente doente e escondeu sua fraqueza por muito tempo.
Ultima reflexão.
Na vida real, que fazemos quando perdemos o que temos de mais precioso? Quando o fogo da provação devasta nossos tesouros, convicções, fé, esperança e áreas verdes de conquistas são devoradas, nos deixando perplexos e sem ação?
No caso do incêndio, nada pode ser devolvido ou restituído, a área será uma gigantesca mancha cinza escura por muito tempo e os tesouros estão carbonizados e para nada mais servem.
Mas espiritualmente falando, tudo pode ser restaurado. O terreno devastado do coração pode se tornar verde de novo. Os tesouros perdidos, valores, princípios e dons podem ser restituídos. A esperança pode recrudescer incontrolável, e a fé pode ser viçosa como dantes. O fogo inclemente da provação sempre leva invariavelmente à alegria indizível e cheia de glória.
Deus não nos livra da fornalha, mas na fornalha. Depois das chamas, o terreno do coração de bronze rígido é purificado e aquilatado para se tornar ouro refinado, mais precioso por que passou pelo fogo da provação, alquimia celestial.
Mas para se chegar a esse ponto, há de se requerer um impulso seu em direção a Jesus, o Restaurador de vidas. Se você quer, Ele mais do que nunca também quer te ver feliz e revigorado. E quando sua vontade se encontra com a Vontade Dele, o milagre brota livre e se faz realidade.

5 comentários:

markeetoo disse...

O povo de Manaus passou por algo semelhante a pouco, mas com água né? É interessante pensar nisso. Me vem a mente o versículo que diz pra não acumularmos tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem corróem. Nós acreditamos nisso, mas muitas vezes morremos de medo que a traça e a ferrugem venham atrás de nossas coisas tão preciosas ehehe.
E no sentido espiritual, é bom demais saber que Deus pode fazer florescer o que foi destruído pelo fogo das provas, das dificuldades. A Bíblia toda gira em torno da palavra "restauração", "renovação", um "fazer novo" e isso é lindo demais pra mim.

janaina disse...

Esse texto reflete em muito a fase onde me encontro em minha vida... sonhos frustados, coração devastado pela duvida, incredulidade de que as bençãos de Deus também existam para mim, etc, etc...
Espero anciosa pelo reflorestamento de Deus em minha vida, valores e mente...

Edjane disse...

A prova do fogo é devastadora sim! Mas como diz o texto Deus não nos livra da fornalha, mas na fornalha. Deus tá reconstruindo onde o fogo devastou, onde não havia mais esperança, é difícil sim! Mas Deus tem seu tempo e jeito certo de fazer, e esse ferido coração começa a ser restaurado... Sou imensamente grata a ele por isso.

Marilena Silva disse...

Estava estudando sobre jò. Acho que ninguém perdeu mais que ele. Perdeu tanto coisas como pessoas, e ele mesmo diz que Deus nos dá o bem e tem o direito de nos dá o mal tb. As crises geralmente nos fazem amadurecer.

Lissiane disse...

Entender que Deus muitas vezes não nos livra da fornalha, mas sim na fornalha é algo que nos deixa confusos quando crescemos em uma bolha que nos ensina que quando passamos por fornalhas é porque demos brecha ou pecamos... enfim, entender isso é começar a entender a graça de Deus.